No dia 18 de junho foi realizado o evento Diversidade e (Inter)culturalidade: Diálogos Sóciopolíticos desde o Sul Global, promovido em parceria pelo Migraidh/CSVM e Comitê Representativo dos Estudantes Imigrantes e Refugiados da UFSM (Cerim). A atividade, que ocorreu na Sala 218 da Reitoria da UFSM, tinha como objetivo a promoção de um espaço de diálogo a partir das narrativas sociopolíticas e expressões culturais de imigrantes e refugiados(as) que vivenciam a imigração no contexto da UFSM e da cidade de Santa Maria.

Um dos desafios do evento, desde a construção de sua programação, foi refletir sobre as dinâmicas interculturais construídas no contexto local e na UFSM a partir do ingresso de estudantes pela Resolução 041/2016, que prevê o acesso à educação técnica e superior na instituição a refugiados(as) e imigrantes em situação de vulnerabilidade. “Em um contexto de modificação dos fluxos migratórios, com o Brasil ganhando destaque como importante país de migração para novos coletivos, é necessário chamar a atenção para as contribuições dos migrantes para muito além de força de trabalho, mas como dinamizadores de relações culturais e sociais, como sujeitos políticos e produtores de conhecimento, interlocutores de uma sociedade que se quer mais aberta, inclusiva e diversa”, destacou a professora Liliane Dutra Brignol, coordenadora do Programa de Extensão Migraidh/CSVM durante a cerimônia de abertura. Esse momento teve também como destaque a presença de autoridades locais que reforçaram o compromisso do poder público municipal na acolhida e integração da população migrante e refugiada em Santa Maria e na UFSM.

Após a solenidade, a primeira mesa do dia teve como temática “A Política de Ingresso na UFSM: Internacionalização, interculturalidade e integração local”, em que integrantes do Migraidh e do Comitê debateram sobre a urgência em retomar o ingresso de imigrantes e refugiados(as) na UFSM, bem como sobre a permanência dos(as) estudantes que já estão na instituição. Widerson Mesilas, presidente do Cerim, destacou também a importância da criação do Comitê e do Migraidh/CSVM no apoio às demandas e dificuldades enfrentadas pelos(as) estudantes imigrantes e refugiados(as) na Universidade.

A programação contou, ainda, com a participação de estudantes da UFSM do Haiti, Congo, Angola, Cuba e Costa do Marfim, que apresentaram aspectos sobre a política, economia, sociedade e cultura dos seus países. Ainda, durante toda a tarde, a programação de debates foi intercalada com apresentações artísticas da cultura haitiana e paquistanesa, encerrando com uma intervenção teatral dos(as) estudantes haitianos sobre a história do Haiti. 

Fruto do protagonismo dos(as) imigrantes, o evento constituiu um marco na possibilidade do encontro com a diversidade advinda do Sul Global e um importante passo na acolhida de imigrantes e refugiados na cidade de Santa Maria e na UFSM.